sexta-feira, 11 de agosto de 2017

86% dos Municípios estavam em situação grave ou critica em 2016

Segundo pesquisa da FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), a avaliação de 4.544 Municípios resultou no seguinte quadro:
Avaliação da situação da gestão fiscal dos Municípios:
Situação de excelência: 0,3%
Situação boa: 13,8%
Situação em dificuldade: 57,5%
Situação crítica: 28,4%

Um total de 1.024 Municípios não foi avaliado porque, simplesmente, esses Municípios não enviaram seus dados fiscais para a Secretaria do Tesouro Nacional, ou reportaram de maneira incompleta suas posições. Com isso, fácil presumir que o número de prefeituras em dificuldades ou de situação crítica deve ser maior ao que foi acima apresentado.
Em situação de excelência, destacam-se os seguintes Municípios:
1º - Gavião Peixoto (SP);
2º - São Gonçalo do Amarante (CE);
3º - Bombinhas (SC)
4º - São Pedro (SP);
5º - Balneário Camboriú (SC);
6º - Niterói (RJ);
7º - Cláudia (MT);
8º - Indaiatuba (SP);
9º - São Sebastião (SP);
10º - Ilhabela (SP).


Fonte: Jornais Valor e Globo, ambos de 11/08/2017. 

domingo, 6 de agosto de 2017

O Contribuinte

O contribuinte que pagou corretamente os seus tributos, nada mais fez do que a sua obrigação de cumprir a lei. O contribuinte que não pagou corretamente os seus tributos, nada mais fez do que aguardar a anistia dos juros, a remissão da dívida total ou aproveitar-se da letargia da Administração Pública e gozar da prescrição.

O devedor inadimplente goza de parcelamento, moratória, anistia, remissão, palmadinha nas costas, amizade de políticos e do esquecimento do credor em cobrar a conta. Quem nada deve tem a suspeita do fisco, sofre rigorosa fiscalização, o tributo é arbitrado por presunção, e tem a chamada ‘autuação preventiva’ (“Vou autuar porque lhe considero suspeito de alguma sonegação”). E ainda é chamado de otário pelos outros que nada pagam.

Alguma coisa está errada...  

sábado, 5 de agosto de 2017

Produzindo LUG

Apesar dos meus setenta e cinco anos, eu ainda me considero uma pessoa criativa e empreendedora. Vem daí uma nova ideia de ganhar dinheiro. A fabricação de um novo produto, que seria chamado de LUG ou LUG-LUG (espero que não esteja patenteado).

O LUG é uma plaquinha de plástico maleável, autocolante ou autoadesivo. Fácil de descolar, poderá trocar de lugar ao gosto do seu dono. Tem 10 centímetros de comprimento e 5 de largura. Espessura de 1 centímetro. De várias cores, pode ser colado na mochila, na bolsa, no celular, na roupa ou na testa. Fortes recomendações na embalagem alertam para que o produto não seja engolido ou usado como chiclete. Cada um aplica o seu LUG no lugar que bem entender. Direito constitucional do cidadão.

O importante é que o LUG não tem, absolutamente, nenhuma utilidade. Não serve pra nada! Esse é o seu marketing! E por isso, tenho certeza que venderemos milhões de LUG. Quem quiser entrar no empreendimento, como sócio da empresa, envie carta. Dentro de uns dois ou três anos, faremos a abertura do capital e ganharemos fortunas no IPO.